sábado, 26 de dezembro de 2009

negas

Negas



Nega o seu sentimento, escondes não o admite
Tem medo do que e mais forte insiste
cresceu não o planejou
Mais aconteceu .nasceu brotou
Te assusta estar apaixonada .ligada a outro alguém
Querendo ter sua presença, incomodada com sua ausência
Quer dele sua companhia atenção energia
De azas a esse amor ser sozinho ninguém agüenta


Não oprima o amor em seu peito
Tentar extirpar não tem jeito
te consome .incomoda te acorda ,assim não e direito
se a noite o sono te falta, , dele não se esquece te chama te aborda é pertinente constante , vibrante sem trégua , sem porta esta sem saída
ilhada . esta ancorada no cais da sua paixão

desça do muro encare ,a situação
confesse a quem você ama
o seu sentimento ,que mal ´não faz não
vergonha de amar ,nunca deve se ter
se amor faz bem te ensina purifica você

és nova sobre o assunto aprenda tente entender
conheça vai fundo,mergulhe de cabeça sem se arrepender

as vezes o primeiro amor é o único das nossas vidas
e aquele que a primeira vista
baixa sua pressão, faz jorrar suor nas mãos
balança o corpo inteiro ,que te faz gaguejar, basta sentir o cheiro
te faz falar ligeiro perder a fala , abarca te deixa fora do ar
parece um ima a nos atrair difícil é resistir
melhor se entregar

e do tipo que causa inveja, que não da brecha para falação
tem luz seu próprio brilho tem uma exatidão
não é fugaz nem passageiro.como inverno ou o verão

amor é algo pra ser vivido
tem que ser pleno,intenso,compartilhado
olhar pra frente olhar pro lado
cuidar um do outro do seu amado
criar um clima a cada dia a cada noite
cada momento ,se dar inteiro abrir o leque
acenda a chama .amor na mesa amor na cama
amor no carro .amor no quarto amor fiel amor bacana

amor bandido amor honesto amor sincero amor fingido
quem ama sabe qual é o seu que tipo tem, a conotação
a qualidade se é de verdade, se tem razão de ser e de estar
de prosseguir continuar se vão pra frente se e frio ou quente
Se tem futuro se pode e deve seguir em frente

Nenhum comentário:

Postar um comentário