quinta-feira, 29 de março de 2012

O filho do Brasil

O filho do Brasil Davi salles )

Acabei de assistir o filme de Fabio Barreto .
Que conta a trajetória magnífica , de um brasileiro ,nordestino e pobre
Muito conhecido de todos nós
Aquele que facilmente o identificamos, pela simplicidade e a tonalidade da sua voz
Nasceu nos confins do sertão de Pernambucano
Onde conheceu, a seca , a fome e o abandono paterno
Essa criança sai da sua terra natal
Em um pau de arara empoeirado, rumo ao litoral paulistano
Com o seu clã, a alguns velhos pedaços de pano

Ao desembarcar em Santos se depara com o seu pai
Que jamais tinha visto em toda a sua breve existência
De imediato ele percebe o tamanho da sua ignorância e da sua indiferença
Daquele que um dia o abandonara
Para viver com uma outra mulher que ele se amasiara
Essa criança , juntamente com os seus irmãos , ainda tão pequeninos e tão inocentes
São forçados a trabalharem, como ambulantes , nas estações de trem
E a ouvirem o discurso equivocado , incoerente
Desse pai ausente , que do álcool era também dependente
Berrava em alto e bom som que criança tinha que trabalhar e não ir à escola estudar Discurso esse repudiado, pela sua mãe que lutou e relutou , e o fardo não suportara e um dia o abandonou ...
Esse menino se destacava entre os demais alunos ...
Chamando assim de imediato , a atenção da sua professora , que ao ver as precárias condições que sobrevivia o seu escolhido aplicado aluno .
Deixa explicita a sua vontade , de logo adotá-lo
Proposta essa recebida como uma ofensa , pela sua santa genitora
Que gentilmente agradeceu a sua dedicada protetora
O guerreiro e obstinado , tinha um sonho em se tornar alguém respeitado
Ser metalúrgico era o seu plano traçado
Com o certificado do SENAI conquistado
Começou a sua trajetória, como torneiro mecânico formado
Bateu de frente com a dor da perda
De um amor e de um filho que nunca chegoua tomar nos seus braços
Em busca de uma razão para viver
Depois dos seus dois amores perder
Para apagar esse passado e não enlouquecer
De imediato tomou partido da sua classe
Se filiando ao sindicado dos metalúrgicos de São Bernardo do Campo
Onde rapidamente ganhava a confiança, admiração, a liderança e o respeito dos seus companheiros de luta
Nascia então o sindicalista de identidade absoluta
Pelas suas ideias revolucionárias e visão política vanguardista, Lula era aclamado !
Esse homem que lutou contra a falta d’água e de alimentos
Carregava consigo tanto sofrimento ...
Agora lutava por melhores condições de trabalho, por melhores salários em prol de um movimento, que para o poder se tornara quase um terrorista
Ficara famoso, como um artista, estava nas manchetes das revistas
Nas páginas dos jornais era citado como agitador, o estrategista
Conheceu a face rude e cruel da ditadura militarista
Naquele momento crucial se encontrava preso numa cela escura, em poder da polícia Amargava o fel da injustiça, enquanto sua matriarca falecia no leito de hospital longe das suas vistas
No sepultamento fora uma comoção fenomenal
Os companheiros consternados ameaçavam
Ou libertavam o seu líder ou seria então paralisação total, greve geral
Logo começaram a lhe rotular de comunista
Quando a democracia começava a ensaiar seus passos, engatinhando e também consequentemente aos conservadores ela ia incomodando
Armas e cassetetes versus palavras de ordem
Que para os industriais escravagistas era sinônimo de desordem, rebeldia
Pleitear melhorias, a defesa do pão de cada dia
Lula viu e sentiu na pele a truculência e a selvageria que imperava da burguesia
Corajoso, obstinado, o predestinado , característica desse brasileiro aqui citado
Ouviu o seu nome em coro uníssono ser ovacionado pelo país inteiro
Lula era um emocionado, com um português nada refinado
Rompeu barreiras com sua retórica objetiva , chegava nas massas e rapidamente ela era absorvida e a resposta era obtida
A sua veemência e tenacidade saltava aos olhos
Tanta verdade no seu discurso de operário, os peões o tinham como referência!
Era uma voz que os defendiam, com uma gigantesca eloquência
Poderia ser metalúrgico, advogado, pedreiro , carteiro , qualquer que fosse a categoria ,
Lula lutava pela igualdade, pela sociedade, por um ideal verdadeiro, pela união da maioria
Que história linda de se contar, e que coisa boa saber que desse homem trabalhador
Que pelo ofício que lhe marcou , falta-lhe hoje um dedo em uma das suas mãos
Devemos nos orgulhar desse nobre cidadão
Não é todo dia que nasce um Luis Inácio lula da Silva não !
Com um sobrenome tão familiar , que não degenera e não nega as suas origens
A sua saga não nos aflige, não é mais um João ninguém
Não macula a nossa memória, nem o berço da sua glória
Sem ensino superior, sem canudo ou diploma de doutor
Venceu preconceitos , quando lá naquela cadeira tão desejada, ele um dia se sentou
Teve o poder e tão bem nos representou
Quando lá no topo ele esteve , não nos envergonhou...
Não se misturou com elite que por tantos anos nos governou, nos escondeu, nos sucumbiu
Eu, você e nossa pátria que nos pariu , e pelos mais fracos, pela sua e a nossa gente a riqueza na medida do possível repartiu , partilhou
Foi mal interpretado,criticado
Mas como nem Jesus cristo a todos agradou e ainda fora crucificado
Luís Inácio Lula da Silva , o seu mandato honrou
Saiu de cabeça erguida , orgulhoso , e como de costume estava emocionado
na hora da sua partida, na descida da rampa que tantas vezes subiu
Vida longa a esse peregrino , nordestino , Luis Inácio Lula da Silva do Brasil
Corajoso já era homem desde os tempos de menino
O país de pé o aplaudiu.

sexta-feira, 9 de março de 2012

sonhar ( Davi salles 09 /03 /2012 )

sonhar

Mesmo quando o pesadelo cotidiano se faz presente
É preciso sonhar pra sair na frente
Quem desanima não vê o futuro
O brilho nos olhos não mas aparece
Quem não sonha fica em cima do muro
Se mostra inseguro
O medo não pode ser coadjuvante para justificar a covardia
Seja protagonista da sua alegria
Sonhar, sonhar, sonhar, viver, viver, viver
É assim que tem de ser ao se levantar e ver a cara do novo dia nascer
Como mais uma moeda no minhaeiro
Mais um tijolo na sua edificação mais um passo na sua estrada
Mas um quilometro no velocímetro rumo ao ponto escolhido
Quem sonha aspira .transpira respira admira e é admirado
É notado citado bem colocado
Não fica inerte parado ta na sintonia, na correria
Crescendo se eleva se o sol aparece ou se esta nevando
Sonhar mesmo quando quem esta do seu lado
Esta desanimada com os brios feridos, os ombros caídos
Os ânimos doridos contaminado pelo comum
Pelo conformismo de der mais um
O impossível não existe se você persiste. e insiste esse é o diferencial
O que aos olhos alheios pode parecer utopia
A sua existência pode ser filosofia a marca da sua estadia
Nessa vida real sonhar é vital a noite de dia sonhar acordado
Sonhar esta provado é bom não faz mal

quarta-feira, 7 de março de 2012

Baianidade ( Davi salles 07 /03 /2012 )

Baianidade
É uma sonoridade particular, da terra do acarajé e do vatapá
criatividade , Malemolência um canto de independência
com tanta referencia , é o nosso axé baba
Nos aclives das intermináveis ladeiras, nos degraus das escadarias
Nos palcos ambulantes alimentados pelos modernos geradores gigantes
Nossa cultura é nitidamente reconhecida é difundida nossa alegria é contagiante
Salta aos olhos nos auto falantes
A fé abstrata esta impressa na harmonia é melodia que embala as multidões
É a hierarquia orixás que uni brancos negros despojados e barões
África com baia resulta numa magia , alquimia de elementos
Globalização ,iteração de instrumentos .poetas e seus pensamentos
É a sina da arte pleno movimento .
De tambor em tambor de repique a repique de timbal a timbal
No gueto no ninho do mestre carlinhos braw
A maternidade de ritmos e sons .batizada de candeal
A mina do nosso carnaval
aqui não cristo redentor
Mas o bom fim do nosso senhor
O farol que Vinicius de moraes imortalizou
A baianidade é um vírus e ele se contaminou
Temos Uma mistura porreta de crenças para acreditar
é o sagrado e o profano coisa de baiano é misturar
O mundo inteiro vem pra se abaianizar
É Um ima que trai , anima, gente vira pipoca menino vira menina
Baianidade é o brasão do celeiro da terra de Jorge amado
De caribé e seus retratos , o seu olhar apaixonado
da mãe menininha dos gantois da diversidade do ilê
La da liberdade isso é baianidade

quinta-feira, 1 de março de 2012

Gosto ( Davi salles )

Acordo cedo .gosto de ver o sol raiar porque ?
Me fascina essas coisas que muitos acham pequeninas
Mas que me fazem pensar
Ontem era noite vi i o céu estrelado de repente vem a se azular
Saber dos movimentos sincronizados que fazem a a terra girar
Fico ainda bobo vendo um avião voar
Gosto de agradecer o ar eu respiro
O aconchego do meu lar ,meu clã que tanto me alegra
A mulher que hoje pra mim se entrega e gosto de amar
O amor que Amim nunca nega isso ela nunca o fará
Sabe o que é riqueza ?
É viver respeitando o abstrato se conscientizando que ele é um fato
O que não é palpável por vezes é esquecido
Da mofo da Idea dos desavisados
O que não se enxerga é o nosso maior tesouro
O que te faz as vezes cair no choro
Sentimentos são transparentes não podem ser fotografados
Mas o que eles causam na gente certamente são eternizados
Gosto de acordar cedinho para ouvir o canto de um passarinho
Aproveitar cada segundo
Gosto de se gente .gosto de ser eu. gosto de ser seu, gosto de ser meu
Gosto de ser tudo .gosto de ser nada gosto De ficar pequeno diante do criador
Gosto de ficar calado pra ouvir o que me é orado
Falo pouco canto o amor ; o que eu que sou o que sei
O que não sei e imagino .gosto de ser homem ser menino
Esse verso aqui termino