quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Enfermeiras

Enfermeiras


Anjos de jaleco branco
Muitas vezes escutam enxugam o pranto de seres
Sejam pretos brancos
Ricos e abastardos os despojados cuidam zelam cobrem com seu manto
Santa paciência suprindo a solidão as vezes de entes mais próximos
A ausência tão dura curam feridas ,ouvem historias de vidas
São pilares dos hospitais
Os médios operam suturam mais cabem a elas
Monitorar os sinas vitais
Os cuidados reais
Os enfermos se apegam alguns se apaixonam
Outros criam laços afetivos e levam a sua imagem consigo
E nasce ali um elo indestrutível
Marcas lembranças de quando a sua via esta em perigo
Quando a duvida talvez sublimasse a esperança
A imagem a presença o cuidar que nunca cansa
Cuidam homens mulheres crianças
É uma missão um dom que não balança
Não cede é um caminho sem volta
Acudir socorrer. alimentar fazer alguém viver
É um anjo sem azas por isso que escrevo para você saber
Para de o seu valor ficar ciente entender
O quão é enorme o respeito e perfeito minha gratidão
Por você quando aliviam de alguém o sofrer
Quando um órgão começa a doer
É uma enfermeira que vem nos valer

domingo, 28 de novembro de 2010

sexta-feira, 30 de julho de 2010

NEGAS

Negas (Davi Salles)



Nega o seu sentimento, escondes não o admite
Tem medo do que e mais forte insiste
Cresceu não o planejou
Mais aconteceu, nasceu brotou
Assusta-te estar apaixonada ligada a outro alguém
Querendo ter sua presença, incomodada com sua ausência
Quer dele sua companhia atenção energia
De asas a esse amor ser sozinho ninguém agüenta


Não oprima o amor em seu peito
Tentar extirpar não tem jeito
Consome-te incomoda te acorda, assim não é direito
Se a noite o sono te falta, dele não se esquece te chama te aborda é pertinente constante, vibrante sem trégua, sem porta, está sem saída... ilhada.
Esta ancorada no cais da sua paixão

Desça do muro encare a situação
Confesse a quem você ama
O seu sentimento, que mal não faz não
Vergonha de amar, nunca deve se ter
Se amor faz bem te ensina purifica você

És nova sobre o assunto aprenda tente entender
Conheça vai fundo, mergulhe de cabeça sem se arrepender

Às vezes o primeiro amor é o único das nossas vidas
E aquele que a primeira vista
Baixa sua pressão, faz jorrar suor nas mãos
Balança o corpo inteiro, que te faz gaguejar, basta sentir o cheiro
Faz-te falar ligeiro perder a fala, abarca te deixa fora do ar
Parece um ima a nos atrair difícil é resistir
Melhor se entregar

É do tipo que causa inveja, que não da brecha para falação
Tem luz seu próprio brilho tem uma exatidão
Não é fugaz nem passageiro, como inverno ou o verão

Amor é algo pra ser vivido
Tem que ser pleno, intenso, compartilhado
Olhar pra frente olhar pro lado
Cuidar um do outro do seu amado
Criar um clima a cada dia a cada noite
Cada momento, se dar inteiro abrir o leque
Acenda a chama, amor na mesa amor na cama
Amor no carro, amor no quarto, amor fiel, amor bacana

Amor bandido, amor honesto, amor sincero, amor fingido.
Quem ama sabe qual é o seu que tipo tem a conotação
A qualidade se é de verdade, se tem razão de ser e de estar
De prosseguir continuar se vão pra frente se é frio ou quente
Se tem futuro se pode e deve seguir em frente.

NEGAS

Negas (Davi Salles)



Nega o seu sentimento, escondes não o admite
Tem medo do que e mais forte insiste
Cresceu não o planejou
Mais aconteceu. nasceu brotou
Assusta-te estar apaixonada. ligada a outro alguém
Querendo ter sua presença, incomodada com sua ausência
Quer dele sua companhia atenção energia
De azas a esse amor ser sozinho ninguém agüenta


Não oprima o amor em seu peito
Tentar extirpar não tem jeito
Consome-te. incomoda te acorda ,assim não e direito
Se a noite o sono te falta, dele não se esquece te chama te aborda é pertinente constante, vibrante sem trégua, sem porta esta sem saída
Ilhada. Esta ancorada no cais da sua paixão

Desça do muro encare a situação
Confesse a quem você ama
O seu sentimento, que mal não faz não
Vergonha de amar, nunca deve se ter
Se amor faz bem te ensina purifica você

És nova sobre o assunto aprenda tente entender
Conheça vai fundo, mergulhe de cabeça sem se arrepender

Às vezes o primeiro amor é o único das nossas vidas
E aquele que a primeira vista
Baixa sua pressão, faz jorrar suor nas mãos
Balança o corpo inteiro, que te faz gaguejar, basta sentir o cheiro
Faz-te falar ligeiro perder a fala, abarca te deixa fora do ar
Parece um ima a nos atrair difícil é resistir
Melhor se entregar

E do tipo que causa inveja, que não da brecha para falação
Tem luz seu próprio brilho tem uma exatidão
Não é fugaz nem passageiro. como inverno ou o verão

Amor é algo pra ser vivido
Tem que ser pleno, intenso, compartilhado
Olhar pra frente olhar pro lado
Cuidar um do outro do seu amado
Criar um clima a cada dia a cada noite
Cada momento, se dar inteiro abrir o leque
Acenda a chama. amor na mesa amor na cama
Amor no carro. amor no quarto amor fiel amor bacana

Amor bandido amor honesto amor sincero amor fingido
Quem ama sabe qual é o seu que tipo tem a conotação
A qualidade se é de verdade, se tem razão de ser e de estar
De prosseguir continuar se vão pra frente se e frio ou quente
Se tem futuro se pode e deve seguir em frente

Partido em dois

Partido e dois (Davi Salles )


Partido em dois me sinto agora
A minha vida tão sem graça
Está sem motivo, turva sem brilho
Ela me falta pois se foi embora

Não imaginava que o amor doía
E machucava esmurra o peito de um jeito forte
Parece um corte que aberto sangra e chamo a morte

Meu pensamento viaja milhas, percorre cantos
Vasculho o mundo, pensando nela cada segundo, cada momento
meus olhos molham a nossa cama
meu corpo queima, grita e chama
duro estar longe de quem se ama
e madrugada fria malvada, arrasta o tempo
e a dor é tamanha.

Nunca pensei que precisava
Que me alimentava que era por ela que acordava
A cada dia mais convencido que a vida tinha uma direção
Que o seu carinho e proteção todo cuidado veneração
Eu como um louco joguei ao chão

Meu coração bate por ela e é açoitado na solidão
Vejo teu corpo em outros corpos
Sinto seu cheiro a toda hora
Me perguntando o que faço agora pois minha vida já foi embora

Parece sonho melhor dizendo é um pesadelo
Um filme triste que me traz medo
Um desespero que me dominando
Vivo chorando me corroendo arrependido
Estou morrendo

Meus Deus me ouve fala comigo
fala com ela diz pra voltar
outra mulher jamais pensei ou cogitei um dia amar
errei eu sei mais quem não erra não pode acertar
sei que sou dela e ela é minha
minha alma gêmea a outra metade
to me afogando nessa saudade

paixão

A paixão (Davi Salles)



Encantamento momentâneo
Pode durar a vida inteira
Platônica, efêmera, fugaz, ou verdadeira.
Eterna ou passageira
Apaixonar-se pode se tornar comum
Se não tomares cuidado, qualquer motivo pode ser mais um.
Um olhar, uma palavra amiga, você sempre corre o risco
Um perfume, um sorriso, o jeito de falar um charme.
Um simples artifício configura uma armadilha, pra você se apaixonar

Um toque, um gesto de atenção
Num momento de carência. Um mero aperto de mão
Leva a conseqüência da paixão
Um fiasco de tesão, ai é que mora o perigo. se balança o coração
Ela chega de mansinho, outras vezes mais parece um furacão.
Forte. Poderosa. Devastando tudo em volta.
Ate mesmo Sua antiga relação

O que somente era só um flerte, uma simples aventura
Transforma-se em emoção, por vezes obsessão
O sintoma da saudade é o primeiro que aparece
E quando isso acontece, e agente não esquece
Realmente é paixão.
Lateja palpitando, como o sangue corre nas veias
Tomando-nos corpo e mente se laçado em sua teia
E pra isso não tem remédio, é um mal que não se tem a cura
Transforma-se em loucura, cai por terra à doçura
Sai de cena a ternura, e o ciúme é quem perdura

A paixão não tem idade. Mora em qualquer cidade
Não tem cor nem endereço. Mais às vezes tem seu preço.
Cada um sabe qual é da em homem em criança
Ancião, adolescente, na menina e na mulher
Quem é rico quem é podre, feio ou bonito
Mesmo quem aqui não foi citado,
Um dia já esteve apaixonado ou foi contaminado sabe bem como é que é

Emoção a flor da pele, pensamento viajando
O tempo todo chamando, todo tempo desejando
Conta as horas e segundos, pra quem ama encontrar
E em seus braços tão logo se atirar,
Á assim se estar amando quem mandou se apaixonar?
Paixão

Dias inserto, noites escuras
Coração palpitante, desejo gritante
Corpo quente, do fogo da paixão,
Sonho, fantasia, alucinação.

Estado de êxtase flutuando no espaço
Preciso sentir o chão.
Faz-me voltar ao tempo,
Sentir o momento suspirar de emoção.

Adolescência... Não mais!
De lembrar as loucuras de amor que fui capaz.

Insegura, vulnerável, solidão.
E a perda da razão.

Ironia do destino... Não sei!
Só sei que o amor renasceu
É mais forte que eu,
Nem cabe dentro do meu coração.

Lutas e relutas por este amor proibido
Que está dividido entre dois corações.

Sinto-me um pássaro ferido, procurando um ninho para pousar,
Sem precisar machucar o meu semelhante
Vou voando pelo horizonte
Até um abrigo encontrar.

Autora: Wande Pimentel

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Cara Metade

Cara Metade (Davi Salles)

Dizem que a cara metade é alguém que se ama e completa seus dias
Mas como poderia? Se até pouco tempo você nem se quer esse ser conhecia
Sobreviveu sem esse elemento até o presente momento, desse envolvimento
E agora se agarra a esse sentimento se declara dependente, que de agora em diante sua vida será um tormento sem ele tudo será diferente, e que o céu não será mais azul, que o sol perdera seu brilho, que irá sair dos trilhos e sente até nú.
Que seu mundo perdera o sentido, que sente-se mutilado sem esse amor do seu lado
Colocar nas mãos da outra parte a sua felicidade é muita responsabilidade.
É como sentenciar alguém a essa obrigação de te fazer feliz sem ter outra opção.
A sua cara metade é o outro lado da sua face, ninguém pode ser a razão da sua vida
Além dos seus objetivos e suas metas definidas, amar alguém não é sentir-se partido ao meio ter medo, receio, entrar em pânico porque naquele encontro ele não veio,
essa postura só te enfraquece e não faz bem para a relação. É uma leitura equivocada.
Acho que ninguém merece essa união de desespero obcecado pela paixão, perde a razão... mude de posição! Se coloque no lugar de quem você foca com essa visão, e verás tão logo que está na contramão, reflita sobre essa questão... quem não se ama não pode amar, quem não se basta não pode completar. Sinta-se inteiro dono do seu agir e pensar, o seu existir não se limita a necessidade de se doar e se entregar ao ponto de se dividir e se fragmentar.

quinta-feira, 8 de julho de 2010

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Quando eu canto (Davi Salles)

Quando canto


Quando canto fico tão contente sinto de repente meu corpo dormente
De tudo me esqueço, não me reconheço se cantando estou
Minha voz valente.Forte, contralto
me joga pro alto me faz estar vivo, feliz, sorridente.
Quando canto eu piro, pois algo me toma mexe comigo
Fico diferente.

Quem me ouve cantar
Quase não acredita e não faz idéia
que esse homem forte
com expressão tão séria, todo musculoso.
Compõe ou canta o mundo romântico, passeia, habita, transita.

Quem me vê cantar muitas vezes chora
se conectou com a minha emoção
Com o que quis falar nessa cantoria
Acordes e a harmonia, do meu violão
que coisa gostosa.
É botar pra fora, dizer com orgulho
Que sou um cantor cantar a ternura, anseios de um povo
amores passados até amarguras
traduzir a glória de um apaixonado
Falar do amor, coisas do coração
Que bom ter a honra de ser trovador
Ser abençoado, por Deus nosso senhor.
Ter nas mãos o dom de poder dedilhar um instrumento
Expressar o que penso, qualquer sentimento, que satistafação
Tocar as pessoas com o tom da canção.

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Primeiro amor primeira desilusão ( Davi salles )

(Davi Salles)


Andei muito tempo sem ter um amor .
Atrelado a um antigo, que um dia se acabou
Coisa que hoje em dia, já não me traz mais tanto pavor

Sem me dar por inteiro, era quase um prisioneiro
Do medo, do receio, de novamente ser um sofredor
Não fui tão ligeiro, como de costume
Não mergulhei tão fundo. Sobrevivi e hoje estou aqui

Esse alguém chegou, me mostrou a face de um sentimento
Apaixonei-me, desde que a vi ao primeiro instante
Violento e forte esse envolvimento
E do mesmo jeito aconteceu com ela
Bastou um olhar, e logo eras minha, e eu já era dela.

Era tão bonito, era tão gostoso. Sentia-me forte, o todo poderoso
Uma fêmea linda, muito cobiçada, bem mais vivida, tinha mais idade
Querida, sofrida e desiludida com quem convivia na atualidade
Em suas longas tranças me embaracei.

Tive que escolher, entre ela e a outra que me enamorei
Não restava dúvida, eu tinha certeza e a convicção da minha opção
A resposta certa, já saltava a boca. A frase completa, minha decisão
E nessa jogada, tinha que ouvir a voz do meu corpo
O desejo louco do meu coração.
Que se acelerava, disparava por essa paixão

Alguém fiz sofrer, no jogo de amar.
Um sempre tem que perder, e o outro ganhar
Um lado fica com o mel, outro com o fel às vezes a chorar
Quando já não se nutre esse bem querer
O desejar, pra que enganar? É melhor dizer, é melhor falar
Ficar dividido ou representar fingir, um gostar, jamais o faria
verdadeiro eu fui e preferi zarpar
num novo ninho resolvi pousar.

Era muito forte o que me ligava a essa tal mulher
Jamais tinha tido um prazer total
Com ninguém um dia eu imaginava que poderia igual

Era como um transe, uma emoção. Arrepiava-me nessa invasão
Nem tenho palavras para sensação, um sabor perfeito estar em seu leito
Dormir no seu peito e amanhecer, refeito renovado
Era só magia, sublime energia ficar ao teu lado
Mais esse amor não tinha muita duração
O aviso me veio e o recado dado por uma visão.
Pensei que um dia prazer semelhante
Não encontraria jamais com outro alguém
Mas o destino me surpreendeu e me libertou
Me mostrou que quando se quer, e se permite, se damos espaço
Logo vem aos nossos braços se atira um outro grande amor

Marcou minha alma. Alba era seu nome
Sua pele clara, a bondade rara, era um ser mais nobre
E me fez seu homem, e me enfeitiçou
As longas madeixas, loiras, enroladas que eu sempre penteava

Tinha o poder, de acalmar pessoas desesperadas
uma paciência que sempre presente, ela dispensava
Era iluminada essa minha amada.

Seu perfume forte, até hoje eu lembro, da minha memória não foi descartado
Tínhamos em comum, a música, um instrumento
Ela é dotada, de conhecimento, muitos talentos
De amor e sentimento, que não resistiu à pressão dos tempos
Algo foi mais forte, ou não tive sorte, para ter essa moça comigo mais tempo
Ou então estava tudo já escrito, tudo programado a desfeita do laço da corte
Minha permanência em sua vida com dias contados

Difícil a perda, doeu, sangrou muito .
Chorei um oceano, que com o tempo meu pranto secou
Veio o sofrimento de ambas as partes
Saudades, lamentos e por parte dela um grande arrependimento
Por ter sido fraca naquele momento
Foi muito tarde, quando caiu em si eu já tinha outro envolvimento
E dele nasceu um filho, um rebento

Revolta me veio, ressentimento eu xingava e chorava
Não dormia. Acordado eu ficava
Sentia falta, da sua presença, do toque, da voz
Da sua beleza, do corpo, do sexo do amor da pele, de nós
Do encaixe, da sua gentileza, mas eu era um menino e passou, foi divino
Tinha que ser breve, hoje tenho essa certeza.

Esquecer esse amor sei que não vou
Não guardei rancor, a lembrança ficou
Só dos bons momentos, os bons sentimentos, o que me ensinou
Aprendi, cresci, resisti a saudade
Hoje com mais idade, entendo o motivo que nos separou

Eu tirei proveito do bom que sobrou
Sei que fui direito, fiel a esse grande amor
Fiz canções tão lindas, que o sucesso veio me recompensar
Muitas delas hoje levam multidões a se emocionar
E ela nem sabe, jamais saberá, que essas canções
Essas melodias, letras e poesias, eu compus chorando
Quanto mais doía o seu não estar

E hoje o mundo inteiro, canta com alegria
o que eu escrevia, expelia na minha agonia
da música me valia pra me aliviar.

O dinheiro, a grana, chegou. Foi bacana
Ser reconhecido pelo que compus, para essa moça
Que um dia eu tive que me separar. Eu fiquei no escuro
Apagou-se a luz, a dor dessa perda tive que aceitar.

quarta-feira, 23 de junho de 2010

O amor é assim (Davi Salles )

O amor é assim





O amor é assim...
Um vendaval de emoções tempestade de sentimentos
Que confunde, embriaga, pensamento e coração
calor, frio. Paz e pavor.
Às vezes claridade, às vezes escuridão .
Muitas noites em claro, no fogo da ardente paixão
Algumas de insônia, no breu a arder de saudade e solidão.
No silêncio que irrita os ouvidos, no espaço geométrico do quarto
A cantoria agonizante dos grilos na madrugada, desejos contidos
Vontade que acorda contigo.
Sensação de estar sempre em perigo, disritmia aflição
Coração apertado, perdido, laçado por essa emoção.
Assim é o amor; o amor é assim pra você e pra mim.

Quando ele traz segurança, com ele caminha a esperança
A inocência de uma criança, a certeza de uma aliança
Sentimento tão forte sincero se tentar nem consegues esconder
Faz feliz te joga pra cima, mas às vezes também faz sofrer
Se tiveres a sorte de um dia o amor chegar a você, não vacile.
Abra os braços comemore com muito prazer
Pois amor hoje em dia é tão raro.
Poucas vezes vi acontecer.

Vi também quem pagou muito caro
Porque não foi capaz de entender
que o amor verdadeiro é pra sempre
é eterno, não pode morrer.
Outras bocas pode até beijar, outros leitos se deitar
mais não tente nunca se enganar,
pois no fundo tu tens a certeza
Que o amor quando verdadeiro nem o tempo
consegue apagar.






r

A Fotografia e uma flor ( Davi salles )

A Fotografia e uma flor

É a lente do amor cheia de perspectivas
No seu olhar o foco da alma assim é Margarida
ágil, ligeira, profissional de primeira
exemplo de mulher brasileira.

Do seu caule brotaram mais botões, raízes fincadas na maternidade.
Percebi que pelas suas crias enche boca, vira uma leoa de verdade.
Vaidosa orgulhosa. Fica explicita a imagem de uma mãe zelosa
Presente, atenta e amorosa.

Respaldo na profissão percepção algo a mais,
O que muitos olhos não vêem
Essa outra maneira de enxergar é o diferencial para fotografar
Ama o seu ofício, respirar sem ele creio eu que seria difícil
Escancarado o seu amor por essa arte que te projetou
Sua luz ilumina o ambiente no exato segundo do seu clique perfeito
Ela emociona a gente.

Fui fotografado por uma flor
Achas que é conversa de pescador?
Nos jardins de Salvador tem rosas bromélias
A fotografia tem Margarida Neide
Essa que o poeta aqui narrou.

Na estrada ( Davi Salles )

Na estrada


Na estrada, nas vias marginas
Curvas da morte, trajetos da sorte, caminhos, roteiros
Caminhoneiros, veículos ligeiros trafegam
num vai e vem infinito.
A estrada constrói o progresso
Mão contramão, siga, pare, atenção
Sinais, sinalização.
Trânsito é assim
Tem que ter reflexo, educação.

Muitos na estrada, perdem a própria vida
Amores, irmãos, amigos, amigas
Tiram de alguém, o bem mais precioso
Muitas são as dores
O sangue vermelho que muitos insistem dizer que é azul
Percebem que é púrpura a cor da amargura,
na cena que assusta quando se acidentou
com a infelicidade, colidiu... bateu de frente, derrapou, na pista capotou.
Bateu, a visibilidade desapareceu, acidente à vista
Vitimado foste quase que morreu
Mais um na lista

Quem o limite da velocidade um dia ultrapassou
conta logo uma história triste.
Os movimentos paralisados, membros amputados, aleijados
Ficam dependentes natos a mercê de alguém
de filhos, parentes, dependem da gente
Inutilizados, sem ser útil amargam a nova condição.


Se conduz, se guia, use o senso, a prudência, a sabedoria.
Devagar longe se vai, com pressa no abismo despenca, cai.
Já pensou um dia não mais caminhar?
Um traumatismo craniano pode provocar
Perder a memória, seu passado sua história.
Não poder simplesmente se comunicar.


A estrada, se não tem respeito
desperta no leito enfermo, indefeso,todo costurado você vai acordar
Parabrisa, para o choque vai ser arremessado ser lançado
No estacionamento eterno vais viver num inferno a se torturar
o arrependimento sempre na carona e o remorso te joga na lona
a culpa será sua multa por acelerar demais.
Por correr na frente,com a máquina potente, de motor valente
torque convincente tudo isso agora será só saudade.
Hoje só lembranças, já não corres, nem andas
não sorri, não canta.
Sua felicidade foi atropelada, esmagada na hora da abatida.
Nas estradas haja como homem
Nunca irresponsável como uma criança
Valorize a vida

Quando eu canto (Davi Salles)

Quando canto


Quando canto
Fico tão contente sinto de repente
meu corpo dormente.
De tudo me esqueço, não me reconheço Se cantando estou.
Minha voz valente .
Forte, contralto, me joga pro alto
Me faz estar vivo, feliz,.sorridente .
Quando canto piro
Pois algo me toma mexe comigo
Fico diferente.

Quem me ouve cantar
Quase não acredita não fazia a idéia
Que esse homem forte. com expressão
Tão seria. todo musculoso ,
Se compõe ou canta
O mundo romântico passeia e habita

Quem me ver cantar
Muitas vezes chora
se conectou .com a minha emoção
Com o que quis falar nessa cantoria
Acordes e a harmonia, do meu violão
que coisa gostosa.
É botar pra fora, dizer com orgulho
Que sou um cantor

Cantar a ternura,anseios de um povo
amores passados . ate amarguras
traduzir a gloria de um apaixonado
Falar do amor. coisas do coração
Que bom ter a honra de ser trovador
Ser abençoado, por Deus,nosso senhor ter nas mãos
O dom de poder dedilhar um instrumento
Expressar o que penso ,qualquer sentimento
Tocar as pessoas com o tom da canção

feiticeira

Feiticeira (Davi Salles )13 /12 2004

Sua voz tão doce suave, macia. Faz-me flutuar.
No meu leito sozinho, meu desejo que arde.
Insiste em te clamar
O teu perfume invade. Falo com as paredes frias mudas
que não me respondem
me queimando o peito vem essa vontade
de penetrar seu mundo
sentimento forte, agudo profundo como um poço sem fim
é assim que te quero, eu te quero é assim
não pela metade mais completamente inteira pra mim.

Diferentes nós somos mais para que sermos iguais
Como já diz o ditado os opostos sempre se atraem
Ao tocar em você. Fez meu corpo tremer, o meu sangue ferver
minha libido se erguer, foi difícil me conter
sublimar o desejo de me encaixar em você

Me privar do seu beijo, crueldade tamanha
o coração que aqui bate de saudade, apanha
uma química louca salivou minha boca
Te imaginei sem roupa, numa cama quente e o lençol molhado de suor salgado depois do prazer
esse momento espero, nem sabes quanto quero amar você

Sei que és desejada, muito cobiçada como um diamante
quero ser seu homem, sua paz, perigo, amigo, amante,
seu porto seguro onde encontre abrigo mesmo que distante
vais estar contigo por todo instante sempre em pensamento,
Pois não há limites na conexão
Uma fotografia fez a sintonia, nasceu essa poesia essa quem diria veio essa paixão

Pois já fui fisgado por ti fui laçado, estou apaixonado enamorado encantado pelo seu feitiço. Minha feiticeira que poder que tem sua sedução.
suas formas, que mulher brejeira, uma tentação, muitos predicados enxerguei em ti ao te conhecer te assustei fui ávido e impetuoso mas fiquei nervoso tente entender
é gritante a força dessa minha vontade não importa a idade
nem seu endereço, só penso em você te quero qualquer preço
sei que é tudo novo, muito inusitado não posso esconder estou apaixonado no primeiro olhar esbarrei no amor
mágica delírio quando me beijou
um fogo acendeu me algemou o peito
me prendeu de jeito cativo hoje estou.
Feiticeira (Davi salles )13 /12 2004

sua voz tão doce suave, macia . Faz-me flutuar.
No meu leito sozinho, meu desejo que arde.
Insiste em te clamar
O teu perfume invade. Falo com as paredes frias mudas
que não me respondem
me queimando o peito vem essa vontade
de penetrar seu mundo
sentimento forte, agudo profundo como um poço sem fim
e assim que te quero eu te quero é assim
não pela metade mais completamente inteira pra mim

diferentes nos somos. mais para que sermos iguais
Como já dizem o ditado os opostos sempre se atraem
Ao tocar em você. Fez meu corpo tremer, o meu sangue ferver
minha libido se erguer. foi difícil me conter
sublimar o desejo de me encaixar em você

me privar do seu beijo ,crueldade tamanha
o coração que aqui bate de saudade apanha
.uma química louca salivou minha boca
te imaginei sem roupa, numa cama quente e o lençol molhado de suor salgado depois do prazer
esse momento espero, nem sabes quanto quero amar você

sei que es desejada,muito cobiçada como um diamante
quero ser seu homem, sua paz , perigo amigo amante
seu porto seguro .onde encontre abrigo. mesmo se distante
vais estar contigo por todo instante
sempre em pensamento. pois não há limites na conexão
uma fotografia . fez a sintonia, nasceu essa poesia essa quem diria veio essa paixão

pois já fui fisgado. por te fui laçado. estou apaixonado enamorado encantado pelo seu feitiço . minha feiticeira ,que poder que tem sua sedução.
suas s formas que mulher brejeira a uma tentação muitos predicados . enxerguei em ti ao te conhecer
te assustei fui ávido ,e impetuoso. mais fiquei nervoso tente entender
é gritante a força dessa minha vontade não importa a idade
nem seu endereço ,só penso em você ti quero qualquer preço
sei que e tudo novo muito inusitado não posso esconder estou apaixonado no primeiro olhar esbarrei no amor
mágica delírio quando me beijou
um fogo acendeu me algemou o peito
Me prendeu de jeito cativo hoje estou

Visgo ( Davi Salles )

Visgo

Na minha cabeça latejando todo dia
sem trégua, sem espaço, não sei o que faço.
Já virou mania, por ela acordo e vejo a luz do dia.
Isso não tem cura é paixão, loucura, é tanta ternura.
Fico a sua procura, dá até agonia
Será feitiço, magia, dependência pura
É algo que perdura.

Um apaixonado age sempre assim?
Estou dominado, esqueço até de mim.
Só enxergo a ti, se dormindo sonho
se acordado penso...a quero aqui.

Quem diria um dia
me tornar um fraco, ao poder do amor,
quando deito na cama, quero seu calor.
Te procuro e agarro , um lençol molhado
com vestígios claros, da nossa paixão
o mel que derramou...
nele está seu cheiro e me consola a dor.

Atenua um pouco a minha saudade.
e aumenta a vontade, de te amar de novo
quero repetir, o que a gente fez
de sentir seus toques, seu olhar guloso.
Só mais uma vez ouvir o seu gozo, o seus olhos verdes me inebriam a alma
Me encanta me acalma. Sinto a magia
Sua tez tão clara, pele sedosa e muito me agrada a sua etnia

Meu amor é claro, explicito e raro
tenho muito faro, poucas vezes veio me bater a porta
Entretanto agora, sinto um recomeço
com força tamanha, estranha reconheço
Nada mais me importa sei que não tem volta
é uma estrada reta pra felicidade
logo me acostumo, eu te quero e assumo
essa é a verdade. Estou no seu laço, bem vinda ao meu mundo.
E ao meu abraço aceite -me no seu, recíproco o convite
se o coração permite, vamos então viver só você e eu

Amo teu jeito, teu beijo, seu peito a tua alegria
Me alucina e me liberta, e desperta minha fantasia
cheiro de mulher, jeito de menina
Tenho a certeza que também me quer
Esta na minha sina, do mesmo jeito que eu a quero
Por isso mesmo é que eu te desejo, o que espero

Reviro-me na cama, louco sedento
Essa vontade que não sana, grito seu nome
que ecoa ao vento
De ti tenho sede, tenho fome, queria um megafone.
Pra dizer que te amo, que sou eu seu homem.
Pra revelar segredos, confessar meus medos
Despir-me, ser puro como vim ao mundo,
Te amarei para sempre, segundo a segundo

o Encontro (Davi Salles )

Aceitei um convite fui bailar sem Limites
Ao te ver um palpite, apostei nesse amor
Te falei da minha historia , do passado e de agora da minha dor
Te levei lá fora e demonstrei calor
Te roubei um beijo, fruto do desejo que logo nos tomou


Um ciúme louco , me invadiu o peito
quando olhou Para o lado não contive o medo
Mais fui ao ataque . Rápido no gatilho
atrevido tinha um objetivo
Foi melhor assim hoje esta comigo
Deitas no meu leito. Tem o meu respeito

Sua energia gritava ao meu lado
Seu feitiço em mim já tinha lançado
Nem se dava conta que já era minha
Que eu já era dela fato consumado

Eu tinha a certeza que atrás da beleza
Havia muito mais .do que a forma esguia do charme
sua voz macia que me seduzia
To no seu domínio desde aquela noite, só tenho alegria

Pois da solidão já nem sinto o cheiro e nem o seu acoite
Seu olhar mirou i ,impresso nele foste tudo que sonhei
Quando me lancei ,fitei i essa moça que hoje tanto quero
De uma tez tão clara sorriso sincero


Sei que era você que eu esperava procurei mais não encontrava
Alguém doce assim quando vem pra mim
Meiga e tão mulher jeito de menina é meu querubim
Sem querer me acalma ,me faz tanto bem
Só você me basta não estou pra ninguém

Bailamos ate a,madruga
beijamos suamos ficamos
Disse que seria minha namorada, Obra do destino sou o seu menino
Seu homem amante ,ficante
Laçados hoje estamos pelo .encantamento
Temos nosso mundo, fizemos um pra nos
Ninguém tem acesso a nossos caminhos
Na intimidade são vastos os carinhos
Foi um reencontro de corpo e alma rápido veloz

Quando estou contigo abro minha alma

Relembrando O beijo, que naquela noite me deu
A promessa que fez,ela não esqueceu
Veio me amar, do meu mel se embrenhar
Se entregou pra mim. e gozamos em fim
Química louca, começou na boca no jeito de olhar
Eu tirei sua roupa,e os meus olhos viram o que queria olhar
Ao soltar os cabelos vi outra mulher a me enfeitiçar
invadi seu sexo possuir te fiz delirar
Rompi sua timidez ,toda sua nudez vim a contemplar

Algo pertinente no meio da gente
No seu corpo quente que pulsa sedento
Com fome de mim a todo momento
Esse amor vai longe estava te esperando
Te desejo agora estou te chamando

Seu cheiro que fica na cama em meu corpo
na casa inteira ,Quando vai embora me sinto quebrado
pois sua presença aqui e tão ligeira

Quem mulher formosa linda carinhosa
Charmosa. Gostosa, meiga toda prosa.
É por te que escrevo veja nessa trova
Que te vejo em vida como uma rosa

Venha que te espero de braços abertos
Com meu canto forte poesias versos
Não me deixe nunca, por favor, te peço.

Vagando (Davi Salles )

Vagando (Davi Salles )



Vagando na rua , o pensamento vivo
em quem já não esta comigo
Só eu e o orvalho, os gatos sem dono
os filhos do mundo. No abandono profundo
Vulgos vagabundos. exclusos da mídia do ciclo normal
Conviver social, a eles o nada, e o tudo de mal,
a Solidão .o vicio dependência fatal
Carência, falência, Ausência cerebral

Diante do quadro, agora valorizo o meu prejuízo
dimensiono todo meu preço que Amim ´e destinado
sou abençoado e quase não agradeço
a minha cama quente ,os perfeitos dentes. meus entes parentes
Colegas amigos , meus pais ,meu filho meus irmão queridos
o constante sorriso, minha casa meu abrigo
A roupa lavada ,cheirosa, passada, a minha saúde
Meu talento o meu alaúde minha, referencia minha sanidade consciência Minha aparência meu estado agora

No meios dos loucos drogados , mendigos
Vejo outro lado, como sou dotado e valorizado
Como sou feliz não fui rejeitado nem abandonado. só apaixonado por quem não me quis mais isso é passado
Juro ate pensei em fazer uma asneira, mais o meu dilema já não é mais problema ,insignificante, ficou longe distante, dos que agora vejo
Despertei, estou sóbrio, viva a lucidez vejo outra maneira
Quem perdeu foi ela muito mais que eu
me dei por inteiro, não pela metade, sei sinto saudades
mais tenho Meu brio, tenho amor por mim, pena ser assim ser tão complicada a mulher amada se afastou de mim

E eu que estava vagando, me martirizando por um amor que jaz
Algo que morreu, a miséria alheia dos irmãos da vida me fez enxergar que agora eu sou muito mais eu
Que minha agonia, era um grão de areia, nada comparado a essas noites frias
Sem um pão,sem leito , sem mesa e alegria ou ceia

Volto pro meu ninho, crente ,renovado ,muito mais humano
Muito mais, cristão firme em minha fé
Homem que é homem pode ate chorar pedir pra voltar
Se ferir nos espinhos por uma mulher
Que só tem orgulho, que só faz barulho
Que só desconfia, de cabaça cheia , cabeça vazia , porra que agonia

Já não tem concerto, já que não aceita , nossas diferenças
Perdeu a decência, tanto preconceito, fez perder meu peito
Então paciência ,Meu abraço terno, o meu beijo ardente
Não terás mais não ,vou buscar quem queira uma relação de tranqüilidade Vou abrir as portas do meu coração

A política (Davi Salles )

A política (Davi Salles )

A política brasileira é rede de falcatruas
Onde a mentira é a Tonica essa é a nossa verdade nua e crua
São interesses direcionados para a elite uma minoria
A caridade desnecessária para uma burguesia abastarda
Facilidades trafico de influencias um nepotismo escancarado
No congresso emendas que de nada valem
Comissão de ética onde relatores não tem uma passado duvidoso
E o silencio paira pelos recintos e ai deles que falem
na consciência toneladas de peso
Farinha do mesmo saco marinheiros do mesmo barco
Uma máfia de saqueadores, gastam verbas dos contribuintes sofredores
Desviando dinheiro empobrecem o salário dos trabalhadores
Operários doutores comerciantes professores
A política enoja o pais, quem acredita em algo que um político diz
Os partidos estão partidos . se fragmentam se dissolvem
E La no ceio no núcleo ficam os bandidos engravatados
Uma gang de salteadores sem revolveres eles assaltam a economia
Quando são pegos a imunidade os parlamentar te favorece com a anistia
Tem regalias é por isso que no governo as salas só andam vazias
Mais seus salários religiosamente são depositados no dia
Sem atrasos cheio de gratificações é assim nos altos escalões
Vossa excelência tem motorista particular carro importado tem ate castelos
Aviões contas fantasmas que rendem milhões elas descansam nos paraísos fiscais
Rendendo dividendos burlando as leis leva uma vida de burguês
Com patrimônios incompatíveis com os seus salários de marajás
A autoridade fecha os olhos para o que ele vive a ostentar
Alguns são alvos de um raro momento de moral
expõe os poderes alheios Depois tudo então volta ao normal
são escândalos jogatinas orgias bacanal
assim é a política nacional tudo acaba em pizza
tudo se adormece depois do carnaval

A felicidade ( Davi Salles )

Um dia fui ao encontro de uma mulher
O seu nome eu não sabia de verdade, seu endereço ou a sua idade
E foi sei quem querer que me esbarrei com a felicidade.
Jamais tinha sentido tamanho prazer, tamanha emoção
Pois como hoje bastava pensar nela, ou ouvir sua voz
E disparava, como agora dispara, o meu coração...

Era muita vontade, eu sentia uma imensurável saudade
Eu a amava de verdade mais nunca acreditou nessa minha realidade
No dia que o fez ...creio que foi tarde
Os que a cercavam, não entendiam sua metamorfose a sua mudança seu desabrochar
Que foi gritante , o seu brilho no olhar radiante, o seu sorriso constante
incomodava os seus e aqueles arrogantes, hipócritas que nos chamavam de amantes.

Mais nós dois sabíamos o que nos unia era esse amor gigante,
Bonito elegante rústico. Brigava, eu falava mal, quebrava paredes
Berrei muitas vezes, a chamei de burra na minha aflição
em fazê-la enxergar a minha paixão perdi a razão em muitas oportunidades
Por não aceitar ouvir muitas coisas, que me machucavam no fundo da alma.

Como alguém que e adora um ser, como eu adorava
Poderia então ser desonesto, roubar seu amor, alguém que mudou a minha história.
Alguém que até hoje habita em mim. Impregnada na minha memória,
E eu vou morrer assim com ela aqui dentro do meu pensamento.
A me chamar a cada momento para que não morra esse sentimento

Eu dela não conseguia ficar distante, mesmo quando me ofendia, errava.
E eu lá estava ao seu encontro, eu ia porque ficar sem ela era uma agonia,
Não conseguia e depois do amor ela desculpas pedia, se redimia.
E dizia que o seu orgulho a impedia de telefonar, e confessar que os seus fantasmas, os seus medos não procediam. O que falavam, o que diziam de mim da minha pessoa era fruto
de desconhecimento, dos méritos da minha alma, da pureza e grandeza desse amor bonito Desmedido livre de interesse, onde não visei grana ..eu a queria.

Ela me enlouquecia no dia a dia na cama nós éramos fogo, chama
Não existia da minha parte qualquer trama.
Eu fui seu homem no sentido literal prático total ..te defendi .....te cuidei. Desejava-te como um animal o teu cheiro ainda é tão fatal.
Me tira do sério é uma dor a saudades que queria levar para o cemitério,sepultar,afogar
mais não passa é um mistério...
Não há um só dia que não veja os seus olhos, que não me venha a sua voz
aos momentos que tivemos a sós.

Um dia eu fui conhecer uma mulher a mais linda de todas
Aquela me fisgou me prendeu algo assim meu coração jamais conheceu
Ele está com ela. Ele não sabe e jamais saberá o que é amar outro ser
Insiste em não aprender, não quer nem tentar, pois sabe o nome
A cor e cheiro por quem ele chama, e vive chorar reclama.

Por aquela que ama. E molha o lençol da cama... se afogando em lágrimas
Por ela... misteriosa .......pedra preciosa .....que tinha muitos segredos, resgate da minha paixão perdida ......era destino traçado me dava uma fome ........eu sempre dizia ...te quero comigo .......sou de carne e osso e sofro .........meu cavalo alado já não alça vôos .. Esta chegando à hora tenho medo de avião, ela some magoa.
Pensava .........que amor é esse .. Combinado assim, mas que amante ..sei que fui ..toda madrugada .. Penso nela, timidez nunca existiu... me sinto numa arena como um peão ..que montou num touro brando e caiu no chão ....atordoado

Pela falta da paixão,me diga agora como se faz pra se esquecer de alguém que a gente adora?
Que pena já vou sair de cena eu disse mais não cumpri esse amor já tem raiz pra mais de metros .........eu quero seu néctar como um colibri precisa.
Há que destino malvado quem me dera ver sempre você ..meu raio de sol minha vida.
Nem mesmo o tempo ou a distância irá de te apagar me mim.

Abra a porta pra mim (Davi Salles )

Abra a porta pra mim (Davi Salles )

Não tenhas medo de dizer sim
Pois o que quero de ti se associa ao que tenho de melhor em mim
Nem mesmo sei porque já te quero tanto assim
Mais a certeza existe e insiste em te querer perto por aqui
Posso sentir os seu pensamentos
Quando fala com seus botões na intimidade dos seus monólogos
Esfregando suas mãos , quando eu acelero o seu coração
Estamos a um passo dos laços de uma paixão
Não me negues isso não me diga não

Ao se lembrar das nossas prosas do poema que te ofertei
E escancarei o meu querer , do fundo das minhas entranhas da minha vontade que por você é tamanha . inusitada eu sei .. mais sua beleza e sua alteza é a culpada
Quando meu sono me abandona. as madrugadas . e acordado eu te procuro
Eu e o meu quarto escuro o seu nome sussurro , com o meu membro
Ereto eu já fiz amor imaginário, idealizo todo um cenário
Já projeto o nosso coito , te visualizo me abarcando me abocanhado
Com toda fome com sede e volúpia com violência com maestria
Com vontade e toda ousadia, é assim que estou desde o dia que eu enxerguei sua fotografia, a essa pena de não te ter , me enlouquece me sentencia
Me condena a uma agonia e já faz parte do meu dia a dia

Dessa maneira exacerbada de acordar te desejando imaginando
O meu corpo no seu se encaixando ,nossas peles se roçando nos movimentos ritmados
Vejo meu dorso suado estou enfeitiçado
nos seus cabelos quero estar entrelaçado,enrolado emaranhado
Como o seu perfume um bêbado embriagado e com seu gozo quero me tornar viciado
Dependente do seu prazer quero deitar-me com você ver o sol aparecer
Quero que pra mim abra a porta jamais irei te machucar
Quero mirar o seu olhar sentir seu cheiro na minha memória registrar
Ouvir sua voz dizendo as coisas eu acabei de sonhar
Me deixe entrar no seu peito quero fazer bem feito Tudo que inda não fora feito
Amarei-te de um jeito puro completo perfeito como escrevi nesse texto

Atrás da porta

Atrás da porta (Davi Salles )


Atrás da porta eis a duvida cega
Dividida em ir alem não sei quem vem
Quem quer entrar , o que vira, depois de aberta
Atrás da porta aminha sorte é incerta

Atrás da porta amantes infiéis
Conspirações a grana da máfia dos cartéis
O pavor que nos toma da cabeça aos pés
Atrás da porta o lar do alheio, a rotina o dia a dia do sapateiro
O jornaleiro , o pedreiro o aposentado
Atrás da porta tem banheiro tem piscina espelhos
Se aprende se ensina tem começo fim e o meio

Se depara com o medo, e a surpresa o inesperado
Paira o medo de ser assaltado
Violentado no seu reduto no seu quartel
Por Atrás da o que vira porta o inferno o céu ?

Diálogos ,monólogos historias diversas
Atrás da porta tristeza solidão festas
São muitos mundos e vivencias
Atrás das portas o real sucumbe as aparências
O que acontece a realidade expõe as evidencias
O que acontece as conseqüências
Atrás da porta amor ,violência o vazio
A frieza o cio o a concordância a divergência
Atrás da porta existem portas

Enfermeiras ( Davi Salles )

Enfermeiras ( Davi Salles )

Enfermeiras ,são anjos de jaleco branco
Muitas vezes escutam enxugam o pranto de seres
estranhos sejam negros ,ou brancos
Ricos e bastardos e os pobres despojados . cuidam zelam cobrem com seu manto da doação
Santa paciência ,suprindo a presença e locupletando uma lacuna deixada pela solidão , as vezes de entes tão próximos
que abandonam o barco diante do diagnostico
Curam feridas ,ouvem historias de vidas
São pilares dos hospitais
Os médios operam suturam mais cabem a elas
Monitorar os sinas vitais os cuidados reais
Os enfermos se apegam alguns se apaixonam
Outros criam laços afetivos e levam a sua imagem consigo
E nasce ali um elo indestrutível
Marcas, lembranças de quando a sua via esta em perigo
Quando a duvida talvez sublimasse a esperança
A imagem a presença o cuidar, que nunca cansa
Cuidam de homens ,mulheres ,crianças
É uma missão um dom que não balança
Não cede é um caminho sem volta
Acudir socorrer. alimentar fazer alguém reviver ,renascer
É um anjo sem azas por isso que escrevo para você saber
do seu valor eminente para ficar ciente entender
O quão é enorme o respeito e perfeito minha visão
Quando aliviam de alguém a agonia o sofrer
Quando um órgão começa a doer
É uma enfermeira que vem nos valer o anjo sem azas que voa ate Você

Reencontrar (Davi salles )

Reencontrar


Reencontrar ,é sanar a saudade
saciar a vontade de quem nos acorda e transmite a certeza ,que a vida prosegue e tudo que segue tem uma
razão .Um curso traçado determinado Pelo coração
Reencontrar é ativar o passado nas nossas lembranças
Colocar tudo na balança , e o saldo que fica só trás esperanças
Cada momento vivido foi bem digerido ,degustado ao extremo, nada perdido
Inalado e tragado ,em fim esta guardado o que bom que fizemos
O bem que nos queremos e o que ainda viveremos
Reencontrar não é dar marcha ré é rever quem se quer
Seja homem mulher ,não se atenha ao orgulho
Grite faça barulho ,diga sim se há amor o que passou
O e nem mesmo o tempo apagou o que de mais forte ficou
É assim que ama , deixa o resto na Lama onde é seu lugar
Quem tentou nos tirar esse nosso entrelace se frustrou não tem quem desate
É um nó , apertado o destino que atou e no meio do mesmo
Esta o nosso amor .Todo nosso carinho , todo nosso calor
Se enganou quem pensava e ate comemorava o que jamais se sucedeu
A distancia entre nos nunca , aconteceu porque você será minha e eu
sempre só seu
O seu cheiro seu beijo ,trago sempre comigo ,no meu corpo te abrigo
Nos meus sonhos te tenho ,da forma mais gentil ,com o desejo
animal Com uma fome letal, se não tiver você passo mal
Passo em branco ,sem o prazer real , não tem festa ,lazer carnaval
Reencontro para nos não cabe nem combina jamais nos desgarramos
Sempre nos chamamos ,dialogamos em nossos pensamentos
Nutrindo esse nosso lindo sentimento

Primeiro amor primeira desilusão ( Davi salles )

(Davi Salles)


Andei muito tempo sem ter um amor .
Atrelado a um antigo, que um dia se acabou
Coisa que hoje em dia, já não me traz mais tanto pavor

Sem me dar por inteiro, era quase um prisioneiro
Do medo, do receio, de novamente ser um sofredor
Não fui tão ligeiro, como de costume
Não Mergulhei tão fundo. Sobrevivi e hoje estou aqui

Esse alguém chegou, me mostrou a face de um sentimento
Apaixonei-me, desde que a vi ao primeiro instante
Violento e forte esse envolvimento
E do mesmo jeito aconteceu com ela
Bastou um olhar, e logo eras minha ,e eu já era dela.

Era tão bonito, era tão gostoso Sentia-me forte, o todo poderoso
Uma fêmea linda, muito cobiçada, bem mais vivida, tinha mais idade
Querida, sofrida e desiludida com quem convivia na atualidade
Em suas longas tranças me embaracei

Tive que escolher, entre ela e a outra que me enamorei
Não restava duvida, eu tinha certeza e a convicção minha opção
A resposta certa, já saltava a boca. A frase completa, minha decisão
E nessa jogada, tinha que ouvir a voz do meu corpo
O desejo louco do meu coração.
Que se acelerava, disparava por essa paixão

Alguém fiz sofrer, no jogo de amar.
Um sempre tem que perder, e o outro ganhar
Um lado fica com o mel, outro com o fel as vezes a chorar
Quando já não se nutre esse bem querer
O desejar, pra que enganar? É melhor dizer, é melhor falar
Ficar dividido ou representar fingir , um gostar, jamais o faria
verdadeiro eu fui e preferi zarpar
num novo ninho resolvi pousar

Era muito forte o que me ligava a essa tal mulher
Jamais tinha tido um prazer total
Com ninguém um dia eu imaginava que poderia igual

Era como um transe, uma emoção Arrepiava-me nessa invasão
Nem tenho palavras para sensação,um sabor perfeito estar em seu leito
Dormir no seu peito e amanhecer ,refeito renovado
Era só magia, sublime energia ficar ao teu lado
Mais Esse amor não tinha muita duração
O aviso me veio e o recado dado por uma visão.
Pensei que um dia prazer semelhante
Não encontraria jamais com outro alguém
Mas o destino me surpreendeu e me libertou
Me mostrou que quando se quer, e se permite, se damos espaço
Logo vem aos nossos braços se atira um outro grande amor

Marcou minha alma. Alba era seu nome
Sua pele clara, a bondade rara, era um ser mais nobre
E me fez seu homem, e me enfeitiçou
As longas madeixas, loiras, enroladas que eu sempre penteava

Tinha uma poder , de acalmar pessoas desesperadas
uma paciência que sempre presente , ela dispensava
Era iluminada essa minha amada

Seu perfume forte, até hoje eu lembro da minha memória não foi descartado
Tínhamos em comum, a música, um instrumento
Ela é dotada, de conhecimento, muitos talentos
De amor e sentimento, que não resistiu à pressão dos tempos
Algo foi mais forte, ou não tive sorte, para ter essa moça comigo mais tempo
Ou então estava tudo já escrito, tudo programado a desfeita do laço do corte
Minha permanecia em sua vida com dias contados

Difícil a perda , doeu, sangrou muito .
Chorei um oceano, que com o tempo meu pranto secou
Veio o sofrimento de ambas as partes
Saudades , lamentos e por parte dela um grande arrependimento
Por ter sido fraca naquele momento
Foi muito tarde, quando caiu em si eu já tinha outro envolvimento
E dele nasceu um filho, um rebento

Revolta me veio, ressentimento eu xingava e chorava
Não dormia. Acordado eu ficava
Sentia falta, da sua presença, do toque, da voz
Da sua beleza, do corpo, do sexo do amor da pele, de nós
Do encaixe, da sua gentileza mais eu era um menino Passou, foi divino
Tinha que ser breve, hoje tenho essa certeza

Esquecer esse amor sei que não vou
Não guardei rancor, a lembrança ficou
Só dos bons momentos, os bons sentimentos, o que me ensinou
Aprendi , cresci, resisti á saudade
Hoje com mais idade, entendo o motivo que nos separou

Eu tirei proveito do bom que sobrou
Sei que fui direito, fiel a esse grande amor
Fiz canções tão lindas, que e o sucesso veio a me recompensar
Muitas delas hoje levam multidões a se emocionar
E ela nem sabe, jamais saberá, que essas canções
Essas melodias, letras e poesias, eu compus chorando
Quando mais doía o seu não estar

E hoje o mundo inteiro, canta com alegria
o que eu escrevia, expelia na minha agonia
da musica me valia pra me aliviar

O dinheiro, a grana, chegou. Foi bacana
Ser reconhecido pelo que compus, para essa moça
Que um dia eu tive que me separar Eu fiquei no escuro
Apagou-se a luz a dor dessa perda tive que aceitar.

segunda-feira, 12 de abril de 2010

cidade maravilhosa

Cidade maravilhosa
A cidade maravilhosa esta submersa os tamborins das escolas de samba se calaram
A alegria saiu de cena o sofrimento e a comoção se democratizou
Nesse pavor as duas classes se igualaram a zona sul e a zona norte a mercê da mesma sorte a impotência diante dos fatos pela cidade inteira paira o cheiro da morte a inoperância do poder publico aliada a necessidade de moradias que levam pessoas a edificaram suas casas em lugares onde não jamais deveriam a falta de planejamento urbano. De consciência ecológica gera essa desordem catastrófica mudanças climáticas aquecimento do globo terrestre tem a mão do bicho homem nessa cadeia evolutiva o progresso a qualquer custo se desmata sem escrúpulos ceifando a natureza e o saldo que fica resulta nesse mar de tristeza
Pessoas soterradas um desespero coletivo, gente que perde parentes seus entes bens a dignidade abrigo é um caos generalizado para os que moram nos morros
Os favelados excluídos carentes nas áreas de riscos
Hoje nos bairros nobres a conta bancaria já não é um divisor de águas
Quem sabe não já passou da hora de que tanto tem começarem a dividir também
Se unirem para criarem projetos onde se possa dar moradia digna a quem necessita
Como podemos achar banal ver nossa gente atolada nesse lamaçal perdendo tudo que conquistou com tanto esforço com sacrifício e em segundos uma forte chuva tudo leva transforma seus bens em lixo cenas deprimentes são noticiadas
De leste a oeste do nosso pais e tudo isso é fruto da corrupção da ma gestão porque muitos metem a mão nos recursos destinados a construção
Pois se não se roubassem tanto nessa terra se o desvio de verbas não fosse tão comum não teríamos favelados em lugar nenhum a violência não estaria nesse patamar porque muitos roubam para comer enquanto outros pelo simples prazer para ostentar sua conta alargar e do luxo desfrutar enquanto isso mais u deslizamento
Acontece em outro lagrimas nos rostos de quem seu destino não pode mudar

sábado, 27 de março de 2010

Dois monstros ( Davi Salles )

Dois monstros ( Davi Salles )

Alexandre Nardoni e Ana Carolina Jatobá comentem um crime vil cruel inaceitável.
Um genitor que deveria ser por natureza o protetor do seu rebento, nesse caso é co autor desse ato de crueldade extremamente violento que só revela a sua desumanidade.
Tentaram ludibriar, pericias contestaram laudos científicos provas cabais com negativas e investidas frustradas desse monstro e da sua amada que coincidentemente tem o mesmo nome da mãe. Que foi furtada do deu bem mais precioso o anjo Isabela que fora por essa outra estrangulada. Espancada, judiada, asfixiada e da janela daquele covil de cobras foi por esse psicopata atirada.
Chocaram o país inteiro com um cinismo repugnante lágrimas e negativas revoltantes se declaravam inocentes desse delito deprimente acostumados a impunidade.
Acharam que iriam sair dessa e voltar ao convívio da sociedade, mas o seu engano.
Hoje está estampado em todos os jornais e a justiça foi feita como em poucos episódios já vistos, com as mesmas características, com o requinte de crueldade que foi revelado.
Esses dois pulhas, canalhas bem nascidos educados em colégios de classe alta são a prova que o ciclo social e nível intelectual não impedem o homem de se contaminar e avançar a linha tênue que separa o ser humano do lado animal, pois é assim que vejo esses dois covardes que sem piedade tiraram a vida de uma criança inocente indefesa e totalmente pura.
Sem chances de se defender da ira e da violência que veio de onde jamais se poderia esperar, daqueles que deveriam zelar pela sua integridade física mais infelizmente eles são os protagonistas dessa atrocidade que marcou a história do país. Comoveu e consternou a população gerando revolta indignação.
E uma onda de protestos, manifestos em prol dessa tão esperada condenação.
Gente dessa estirpe com essa alma só merece reclusão.
Fragmentou famílias interrompeu um ciclo de uma história e agora fica a saudade, as lembranças. Até quando nossas crianças serão reféns dessa maldita escória
Essa sentença só nos conforta nos aparta do fantasma da impunidade.
A lei dos homens já foi cumprida então descanse em paz Isabela querida.

segunda-feira, 22 de março de 2010

Meu lado animal

Meu lado animal (Davi Salles )

Por puro instinto, por ser um varão
a pressão social, ser o macho, machão
mito cultural. Quis e exerci o meu lado animal
Dizer não a uma fêmea não poderia jamais
que blasfêmia, ao mundo masculino seria eu banido
Criticado ultrajado, até diminuído

Assim em muitos leitos dormi
despertei, amanheci, para alguns desses jamais retornei
raízes não finquei, muitas bocas beijei
das mais variadas eu provei sem amor,
Nem pensei se algum sentimento eu alimentava
Esperanças plantava, filhos dessas aventuras sei não gerei
a mim mesmo enganei, muito tempo perdi
entretanto cresci, amadureci me plantei experiência ganhei

Não percebia que nessa busca voraz
que o buscado, muitas vezes não vem
O que me movia era o sabor da conquista
o desafio o ser machista, oportunista sinceramente desenvolvia a cobiça
Era mulher, submissa, feminista, advogada, médica, artista
Histórias diversas de loiras, morenas, negras, mulatas do oriente ocidente.
Qualquer continente, solteiras, casadas, devassas, carentes
Corpos bonitos, belos sorrisos ficaram para trás de nada restou
Pois nada sobrou, na grande maioria e da minoria
Algum laço estreito, respeito amizade ou alguma saudade
De algumas fulanas que eram boas de cama
Que um dia me amou


Safadas, sacanas, ligadas à fama
Ligadas ao corpo que cuido, trato esse retrato
Eu atraia, dele me valia, na praia, na rua, no trânsito, em festas
E logo ao meu lado estavam despidas, completamente abertas
Escancaradas, libertas
Entregues, ligadas conectadas a minha sintonia
na orgia ao pecado gostoso para muitos maldosos
Mas muito praticado o ato do gozo.

Todo mundo fala, condena, aponta
Mais não é da sua conta, onde meu membro adentra
Ou quanto ele agüenta, satisfaz a loba cheia de desejos
Adolescente curiosa, pimenta, repleta de medos anseios, sedentas
A madura vivida sem rodeios disposta a viver sem se arrepender
Mostrava a que veio
Olhares, deprimidos, desejos enrustidos
longe dos olhos de seus maridos
Culpados por darem espaço a infidelidade
O preço que pagam pela ausência e falência da sua união
Não são atenciosos ao cônjugue, ao seu par
Vítimas da rotina, a famosa, vilã a malvada.
Quase sempre citada como o ponto de partida, do desgaste, da relação saturada
já sem emoção, atrai o adultério, segredo mistério vem a calhar

Universo feminino, vaidades sempre as mesmas unhas, cabelos, peles, regimes.
Tudo em busca da beleza.
Tem a falsa amiga que tudo critica
Em tudo ela opina, a passar incerteza
A invejosa, maldita coitada é uma encalhada enjeitada
Ninguém te deseja

Sem esquecer o ciúme elemento de costume
se dosado um tempero
Se virar desespero é mexer num vespeiro
É correr para o fracasso, fiasco
Desata os laços, estraga os momentos
Sentimento horrendo, pobre e mesquinho, violento
porque não dizer que é assassino se cruzar teu destino.
Feche a sua porta fuja desse veneno
Não deixe que faça morada
não queira esse mal companheiro se aproxime do seu conviver
Não o tenha como inquilino morando dentro de você

Meu lado animal, seduzia usava descartava
muitas nem atendia depois de ter feito o que bem queria,
E para outra vítima logo partia
Era assim, um tarado, safado, um galinha
Com o tempo tive que aprender um homem se mede pelo seu poder
Quando ele conquista, todos os dias, não varias mulheres mais a mesma
Dia após dia com quem ele partilha a ávida a sua alegria
O conquistador, o dom Juam sedutor, sempre acaba sozinho
Ou acorda a tempo de não ser mais sedento
Não viver momentos mais se plantar no ninho

sexta-feira, 19 de março de 2010

eu tenho sede

Tenho Sede (Davi Salles)

Tenho sede, não só de água. Tenho fome, não só da carne que se come,
Mas do saber, de abrir meu mundo, pra dominar
Temas, assuntos. Debater, ir lá para o fundo
Fazer valer minha opinião, tenho fome é de ter razão não só de pão.
Não sou doutor por opção, um autodidata com ostentação
Não desprovido de educação, do conhecimento e, do exercício da evolução
Sou aprendiz, entendo, compreendo, sem o diploma
Sem tantas honras, sem o canudo, eu ganho o mundo
Sou mesmo assim, rebelde, ousado, astuto. Nada me doma. Isso me toma
Sou contudo um obstinado, abençoado!
A minha sede me fez maior, eu tenho o dom do rouxinol
Do sabiá, bebo das fontes mais cristalinas, gosto do amor, da minha sina
Das mulheres, das meninas, eu sou guloso, teimoso, tinhoso, sou osso duro de roer.
O meu valor não tem escola, nem faculdade,
O meu talento ninguém ensina, ninguém controla.
Tem propriedade, é singular, sem igual. Nasce do nada, brota do tudo,
E logo o mundo já cantarola este no rádio, na mídia, nos discos, nas vitrolas
Tem matéria, não tem didática, uso a fonética, a matemática, compasso jamais, a régua.
São frases, trocadilhos, quando passeio nas trilhas, nos trilhos, na estrada, nas ilhas, à noite, de dia, na madrugada.
Na teia, na veia, na bela e na feia, na moda no antigo
Proveito eu tiro, do negativo, do positivo do sim e até do não
Minha fala parece às vezes, mais um canhão
És minha trova, metralhadora compositora no parto, exteriorizo, vomito minha razão a vocação ponho pra fora, explicito, convido a emoção.
Traduzo as vontades, ansiedades do meu coração. Não só as minhas, mas de uma nação.
Abato a tristeza, puxo o gatilho, eu miro no alvo no meio, no seio sem pena e sem dó.
Afasto esse cálice da depressão, a minha sede me traz inquietude, me faz ser sozinho, mas sou livre como um passarinho que voa ao céu.
Passeia, dá volta e meia mais sempre pousa no velho ninho, sou diferente, sigo um caminho feliz contente.
Este presente vem lá de cima, me contamina, me foi dado, concedido, fui agraciado escolhido
No universo, no firmamento, sou personagem assim eu penso, e acredito não é bobagem confesso o meu papel, a minha história eu cumpro.
E vivo, represento sem maquiagem, tenho argumento
Sou inteiro e não pela metade, sem meio termo com a voz em punho. Com o peito aberto com alma leve, só tenho afeto na rua na vida, na cama, embaixo do meu teto que bem me faz essa minha sede.
Essa fome se mostra eterna, me consome, me deu um nome, respaldo
Deu-me respeito, me revelou, me transformou em alguém direito. Sou referência. Tenho uma marca, tenho estilo e em mim está impresso. Esse é o motivo do meu sucesso, meu marco, trago comigo, eu tenho urgência, e não demência. Sou sedento não só da carne, que se degusta,
Devora-se, defeca, evacua deteriora, se decompõe, apodrece, se joga fora .
Se não tem alma, a mim não venha! Veja lá fora, há tanta vida que até se embrenha, tem tanta flora, tanta beleza, que o meu olhar mareja e chora.
O sol que brilha, durante o dia na exata hora, ele se vai embora.
Se não tem sede, se não tem fome, de ser alguém.
Um homem, um garimpeiro, não só de ouro, prata ou de dinheiro e tesouro
Dessa riqueza material, tem muita jóia que é invisível, abstrata
Valiosa e fundamental. Algumas querendo eu cito agora

A humildade que é tão escassa e oportuna.
Mais ausente nos que desfrutam da fama e da fortuna.
A honestidade, que passa longe das autoridades, dos governantes... errantes.
Igualdade que deveria ser regra aos que trabalham aos que se empregam
Pagam o imposto.

A tolerância, que perde espaço para o oposto,
Quem entra em cena e a protagoniza é a ignorância.
A violência desnecessária, insana, falta de clemência, de paciência.
É um terremoto, guerra civil, é o fim dos tempos que já chegou.
Será que você não viu?
Então eu digo para ser sensível. Atento a vida pra dar o amor
Para que diploma, eu não preciso ser um doutor

sábado, 6 de fevereiro de 2010

carnaval

o Carnaval ( Davi salles)


Vestimos a fantasia é a exaustão da a alegria
Sinônimo de folia,libera-se o que te prendia
misturam–se as etnias é a mais pura democracia
é gente do bairro nobre , é o pobre da periferia
pena que seja assim durante esses poucos dias
O rico e o proletário pisando no mesmo chão
A música que une é a liga é a nova e antiga
O proletário e burguês interagindo agitando repetem o mesmo refrão
se esbarra com o mundo inteiro
Nos becos nas avenidas se brinca com ou sem dinheiro

Carnaval tem esse poder, de unir de entreter mixigenar.
É festa que move o mundo, e todo o mundo quer ver brincar
Onde nasce alguns amores, paixões diante dos geradores
que geram os decibéis canções nos auto falantes
essa energia gigante que deixa calo nos pés
tem farda para essa festa, mortalhas modernizadas
disputa acirrada, hoje é uma forte moeda corrente
muito valorizada é o sonho de muita gente
são muitas caras pintadas e pálidas pelos excessos
aprendi que o carnaval alegra o universo
mas tem gente amarga perdas e outras fazem sucesso

O trio liquidifica mistura ritmos, melodias
Com a força do gerador, perfeita essa microfonia
Essa eletricidade, balança toda cidade
As praças e os camarotes a um tempo atrás sacudia-se
A velha mamãe-sacode nos blocos atrás das cordas paga e brinca quem pode.
Atraem as celebridades
Expõe as suas verdades despacham suas vaidades
Pra festa não tem idade, sexo regras, padrão
O credo a sua linhagem, perante a sociedade
Não faz diferença não
Basta brincar direito, sem esquecer o respeito
E os espírito de folião
Carnaval que festa mais louca, pega, pega quem passa
E tasca beijos na boca
Contagia... é o povo que sai do asfalto decola, grita, pula bem alto
loucura, exaltação, mudança de postura, é paz e tem momentos de loucura
Os Pierrôs e as colombinas meninos e meninas
Desfilam sua formosura , confetes e serpentinas .
Carnaval é o ano inteiro, itinerante e lucrativo festa que não termina.