sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Minha condição

Minha condição (Davi Salles) 24 /02/2012 às 6hs
O que me faz crescer é aminha agonia
Minha ansiedade que não se acomoda. E não alivia
Não passa não passara sou movimento. Pensamento
Sou ebulição hiperativo
Eu preciso não é opção é condição é o meu jeito
Assim me ajeito
Acelerado, apaixonado, se não for perfeito não tem solução
Isso grita no meu peito como um choro interrompido
Fica ali acuado, escondido ate a próxima eclosão
Então deságua na minha face como um riacho um grotão
Chuva de verão que se repete é o ponto a solda do meu dia a dia
Dessa minha missão
Como a camisa e o botão o vento e o furacão
Tenho a noção, do meu desatino da minha loucura
Em ser poeta porta voz de uma nação arauto da cultura
Da arte que me procura me bate a porta, me vasculha me patrulha
Jamais me tortura é o meu prazer meu ócio meu oficio, minha fissura
Meu vicio abençoado, meu balsamo adocicado
Meu norte minha referencia. se desvencilha da minha aparência
É minha alma que ela retratada, a minha oratória em nota musical
É a clave de sol, é o si é o dó o que mi faz maior menor
Nos altos e baixos da minha estrada no compasso do meu passo
Minha verdade esta ta no contraponto no tempo. no contra tempo em anacruse
Na a divisão sincopada a arte que arde invade pulsa nas minhas veias no consciente
Meu coração é o que me tira o sono nas madrugadas
O que Coloca minhas ancas assentadas é uma idéia que me acorda suplicando
Ser tocada
Não sou melhor mais sou mais eu quando o assunto é esse dom que Deus me deu
Parceiro do violão de mim é quase uma extensão um membro prioritário
Compor é necessidade, como ir ao sanitário, pegar uma roupa no armário
Tomar café criar é tão natural
São coisas da minha vida é ávida é a minha lida
Não me furto do meu orgulho, da minha auto-admiração
Ostentação do meu sucesso vem de quem ouve e se associa com minha letra minha melodia O que eu escrevo da resultado. Da samba vira bordão
Ta na boca do povão ressoa na multidão O meu estado. o meu pais e o mundo inteiro já fiz feliz sou respeitado E quem quiser troça o nariz

Nenhum comentário:

Postar um comentário