domingo, 17 de abril de 2011

A carta de Leila Lopes

Ao ler a carta de despedida da artista Leila Lopes,logo percebi
Que se tratava de uma mulher sofrida, saudosista atormentada pelas lembranças.
Do seu passado glorioso, hoje vivenciando seu presente doloroso
Certamente Leila se sentia excluída, esquecida e injustiçada por aqueles que antes rendiam-lhe homenagens, frequentavam sua sala, faziam elogios, a assediavam, aclamavam e disputavam, ostentavam a sua companhia quando o ibope ela fazia subir.
Com suas formas perfeitas e sua beleza, vivia a exibir em sua atuação, em diversos trabalhos que nas novelas realizou.
Nos tempos de glória de alteza quando a fama bateu a porta e depois a abandonou...
A fortuna veio a cavalo, recepções nos endereços mais disputados, convites de figurões, contratos que te renderam milhões, viagens, um mundo encantado, ilusões...
Mercado traiçoeiro cruel, o que era doce transformou-se em fel.
Nos tempos de hoje, as tops (modelos famosas) roubam a cena e tiram de quem tem talento, conhecimento, um lugar ao sol, um papel...
Exibem suas formas esguias, anorexia da moda, em atuações medíocres
Relevam um despreparo e a total falta de aptidão.
Hoje é o que mais testemunhamos nos horários nobres da televisão, o tal pistolão.
Troca de favores, algumas noites de amores com os poderosos diretores
E está garantida sua estréia desastrosa.
Leila Lopes se suicidou, certamente, porque fizera aqueles filmes pornôs
A tal pornografia, por que não dizer putaria?
Quanto emprego ela procurou e não o encontrou?
Os mesmos que a aclamavam, hoje já não a recebiam, os amigos se afastaram, muitos a recriminaram pelas costas, falaram do seu sexo explicito!
Meu Deus, uma artista da toda poderosa globo, chegando ao fundo do poço.
As costas para ela muitos viraram, porém o filme compraram
Com as cenas se deliciaram e a ela jamais confessaram.
O moralismo hipócrita que se esconde entre essa classe, onde tudo se faz atrás da porta.
Tudo isso deve ter oprimido a alma desse moça, ao ponto dela querer parar de viver.
Foi o motivo para que se matasse, com a sua existência ela acabasse
Citou na carta que estava cansada de respirar, de ver o dia amanhecer, disse que merecia e seria perdoada por ter feito o que fez, porque estava indo ao encontro de Deus.
Relatou os seus feitos, sua generosidade e desprendimento com relação aos recursos que tinha.
Disse ter feito tudo direito e se despediu da vida de uma maneira trágica, equivocada...
O covarde jamais diria que ela estava desesperada, tinha dores que os médicos não diagnosticavam, a sua enfermidade doía de verdade, o seu espírito estava doente na realidade.
Pedia socorro e muitos nem desconfiavam, pois quem se importa em saber dos sofrimentos das celebridades.
As revistas evidenciam o luxo, os carros, os barcos, até o fracasso, mais quando se trata de estender a mão, ah isso não, não!
A imprensa, a mídia que expõe a glória, porque foi paga por um preço altíssimo, quando o assunto é acolher, é um fiasco!
Acham desperdício a partida de Leila Lopes...
Apontam os reflexos da sua alma ferida, autoestima destruída,
Pelas portas fechadas que levou na cara.
No período que, das telas e dos palcos, ficar afastada, quem fora rainha perdera a majestade, Juntamente com a jovialidade, com a aproximação da idade.
Trouxe com ela uma nova e triste realidade, ficou na lembrança a sua saudade.
Mas na verdade, o fato de ter se envolvido nesse mercado do sexo,
Certamente deve ter maculado a sua dignidade, internamente deveria travar uma luta com o arrependimento
O afastamento deve tê-la deprimido...
A pressão por ter de manter um alto padrão, consumir as roupas de grife, andar de carrão...
Essa pressão da sociedade que dita um estilo de vaidade e de ostentação Teve seu preço e um endereço, Leila Lopes acabou num caixão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário