domingo, 24 de abril de 2011

Máquina do Tempo (Davi Salles)

Eu te daria o primeiro beijo
E seria o seu primeiro amor, apagaria algumas cenas
Que certamente você mesma não apagou
Daria o ombro e o meu peito, beberia
Todas as lágrimas que um dia você chorou
Quem dera eu tivesse sido aquele que te deflorou
O homem que a primeira vez do seu corpo se apossou
Ah... se eu pudesse trazer de volta
Cada momento que um sorriso seu provocou
Cada alegria que o seu coração palpitou
Te ofertaria as fotografias que você não fotografou
As imagens que sua mente jamais deletou
Te ajudaria a perdoar, a quem não perdoou
Te levaria a um lugar que ninguém jamais a levou
Não deixaria você errar, para o arrependimento não te atormentar
Ah, se o tempo fosse como uma fita que eu pudesse rebobinar
Editaria a sua história como nos contos de fadas
Você seria minha primeira e única namorada
Minha lúdica e despretensiosa poesia, a ti seria ofertada
A valsa do baile de debutante, comigo seria dançada
A dor do seu parto por mim seria compartilhada
O tempo, às vezes, não quer dizer nada
Às vezes, em um segundo, muda o seu mundo
O rumo da nossa estrada, ao se dar conta, já nos perdemos
Ou encontramos a felicidade desejada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário