quarta-feira, 23 de junho de 2010

feiticeira

Feiticeira (Davi Salles )13 /12 2004

Sua voz tão doce suave, macia. Faz-me flutuar.
No meu leito sozinho, meu desejo que arde.
Insiste em te clamar
O teu perfume invade. Falo com as paredes frias mudas
que não me respondem
me queimando o peito vem essa vontade
de penetrar seu mundo
sentimento forte, agudo profundo como um poço sem fim
é assim que te quero, eu te quero é assim
não pela metade mais completamente inteira pra mim.

Diferentes nós somos mais para que sermos iguais
Como já diz o ditado os opostos sempre se atraem
Ao tocar em você. Fez meu corpo tremer, o meu sangue ferver
minha libido se erguer, foi difícil me conter
sublimar o desejo de me encaixar em você

Me privar do seu beijo, crueldade tamanha
o coração que aqui bate de saudade, apanha
uma química louca salivou minha boca
Te imaginei sem roupa, numa cama quente e o lençol molhado de suor salgado depois do prazer
esse momento espero, nem sabes quanto quero amar você

Sei que és desejada, muito cobiçada como um diamante
quero ser seu homem, sua paz, perigo, amigo, amante,
seu porto seguro onde encontre abrigo mesmo que distante
vais estar contigo por todo instante sempre em pensamento,
Pois não há limites na conexão
Uma fotografia fez a sintonia, nasceu essa poesia essa quem diria veio essa paixão

Pois já fui fisgado por ti fui laçado, estou apaixonado enamorado encantado pelo seu feitiço. Minha feiticeira que poder que tem sua sedução.
suas formas, que mulher brejeira, uma tentação, muitos predicados enxerguei em ti ao te conhecer te assustei fui ávido e impetuoso mas fiquei nervoso tente entender
é gritante a força dessa minha vontade não importa a idade
nem seu endereço, só penso em você te quero qualquer preço
sei que é tudo novo, muito inusitado não posso esconder estou apaixonado no primeiro olhar esbarrei no amor
mágica delírio quando me beijou
um fogo acendeu me algemou o peito
me prendeu de jeito cativo hoje estou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário