quarta-feira, 23 de junho de 2010

Visgo ( Davi Salles )

Visgo

Na minha cabeça latejando todo dia
sem trégua, sem espaço, não sei o que faço.
Já virou mania, por ela acordo e vejo a luz do dia.
Isso não tem cura é paixão, loucura, é tanta ternura.
Fico a sua procura, dá até agonia
Será feitiço, magia, dependência pura
É algo que perdura.

Um apaixonado age sempre assim?
Estou dominado, esqueço até de mim.
Só enxergo a ti, se dormindo sonho
se acordado penso...a quero aqui.

Quem diria um dia
me tornar um fraco, ao poder do amor,
quando deito na cama, quero seu calor.
Te procuro e agarro , um lençol molhado
com vestígios claros, da nossa paixão
o mel que derramou...
nele está seu cheiro e me consola a dor.

Atenua um pouco a minha saudade.
e aumenta a vontade, de te amar de novo
quero repetir, o que a gente fez
de sentir seus toques, seu olhar guloso.
Só mais uma vez ouvir o seu gozo, o seus olhos verdes me inebriam a alma
Me encanta me acalma. Sinto a magia
Sua tez tão clara, pele sedosa e muito me agrada a sua etnia

Meu amor é claro, explicito e raro
tenho muito faro, poucas vezes veio me bater a porta
Entretanto agora, sinto um recomeço
com força tamanha, estranha reconheço
Nada mais me importa sei que não tem volta
é uma estrada reta pra felicidade
logo me acostumo, eu te quero e assumo
essa é a verdade. Estou no seu laço, bem vinda ao meu mundo.
E ao meu abraço aceite -me no seu, recíproco o convite
se o coração permite, vamos então viver só você e eu

Amo teu jeito, teu beijo, seu peito a tua alegria
Me alucina e me liberta, e desperta minha fantasia
cheiro de mulher, jeito de menina
Tenho a certeza que também me quer
Esta na minha sina, do mesmo jeito que eu a quero
Por isso mesmo é que eu te desejo, o que espero

Reviro-me na cama, louco sedento
Essa vontade que não sana, grito seu nome
que ecoa ao vento
De ti tenho sede, tenho fome, queria um megafone.
Pra dizer que te amo, que sou eu seu homem.
Pra revelar segredos, confessar meus medos
Despir-me, ser puro como vim ao mundo,
Te amarei para sempre, segundo a segundo

Nenhum comentário:

Postar um comentário