quarta-feira, 23 de junho de 2010

Na estrada ( Davi Salles )

Na estrada


Na estrada, nas vias marginas
Curvas da morte, trajetos da sorte, caminhos, roteiros
Caminhoneiros, veículos ligeiros trafegam
num vai e vem infinito.
A estrada constrói o progresso
Mão contramão, siga, pare, atenção
Sinais, sinalização.
Trânsito é assim
Tem que ter reflexo, educação.

Muitos na estrada, perdem a própria vida
Amores, irmãos, amigos, amigas
Tiram de alguém, o bem mais precioso
Muitas são as dores
O sangue vermelho que muitos insistem dizer que é azul
Percebem que é púrpura a cor da amargura,
na cena que assusta quando se acidentou
com a infelicidade, colidiu... bateu de frente, derrapou, na pista capotou.
Bateu, a visibilidade desapareceu, acidente à vista
Vitimado foste quase que morreu
Mais um na lista

Quem o limite da velocidade um dia ultrapassou
conta logo uma história triste.
Os movimentos paralisados, membros amputados, aleijados
Ficam dependentes natos a mercê de alguém
de filhos, parentes, dependem da gente
Inutilizados, sem ser útil amargam a nova condição.


Se conduz, se guia, use o senso, a prudência, a sabedoria.
Devagar longe se vai, com pressa no abismo despenca, cai.
Já pensou um dia não mais caminhar?
Um traumatismo craniano pode provocar
Perder a memória, seu passado sua história.
Não poder simplesmente se comunicar.


A estrada, se não tem respeito
desperta no leito enfermo, indefeso,todo costurado você vai acordar
Parabrisa, para o choque vai ser arremessado ser lançado
No estacionamento eterno vais viver num inferno a se torturar
o arrependimento sempre na carona e o remorso te joga na lona
a culpa será sua multa por acelerar demais.
Por correr na frente,com a máquina potente, de motor valente
torque convincente tudo isso agora será só saudade.
Hoje só lembranças, já não corres, nem andas
não sorri, não canta.
Sua felicidade foi atropelada, esmagada na hora da abatida.
Nas estradas haja como homem
Nunca irresponsável como uma criança
Valorize a vida

Nenhum comentário:

Postar um comentário