quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

o matuto

O matuto

Matuto caipira, pitando seu cigarro de palha .
O galo no quintal cantando suas vaquinhas do pasto ruminando
Vem mais um dia raiando

Logo Calça sua botina,
Monta no cavalo ligeiro, e ruma pro o celeiro pega sua tralhas
O arado os canzis, apetrechos dessa lida que te faz feliz.
No roçado cavucando a terra semeia o pão
Com a inchada nas mãos

Um sabia cantador. num pe de ingá pousou
Seu canto forte mostrou, parecia ate um show
Para um somente espectador .
A majestade dos passarinhos, por ali deve ter feito o seu ninho
Para a alegria desse lavrador, que todo dia bem cedinho
Tinha o prazer e o contentamento de apreciar esse momento
O recital a cantoria , já se fazia tão normal

Mais logo da meio dia, bastou olhar pra riba
E matuto com certeza já sabia
era hora da bóia de dona Maria


/ Morena de sorriso largo .formosa , numa quermesse o matuto conheceu
logo a paixão se sucedeu e nunca mais dela ele se esqueceu
numa vaquejada, um belo dia no nada ela reapareceu,
matuto tempo então não perdeu
rumou pra casa dela,com seu terno amarelado. uma flor de laranjeira
seu discurso ensaiado
e o pai da moça sua mão logo lhe concedeu
o casório na capela, a festança lá no rancho
muita comida na panela
o pessoal na comilança, e forro varou o dia
muita festa muita dança
o matuto e a cabrocha era só alegria

o matuto volta pro seu ranchinho pros braços do seu amor
Seu cachorro ligeiro,um velho perdigueiro ,com muita festa a receber nosso caipira e sempre o primeiro , ao chagar na porteira da bóia já sente o cheiro
Lava o rosto,as mãos Calejadas, Maria sorrindo lá no portão
Já esperava toda perfumada

Na mesa farta .tem macaxeira . tem galinhada e feijão
O matuto come com gosto o tempero da sua paixão
depois da cesta na sua rede ele volta para a plantação
labuta sozinho Pois seus meninos tão na cidade tudo num bom caminho
De analfabeto ninguém vai chamar
Ta tudo estudando pra ser doutorar


É assim a semana inteira,mais sábado e dia de feira
e dia de Vender o queijo, o leite tudo que na propriedade da
A carroça cheia Maria do seu ladinho e os dois cantando pelos caminhos
Hoje vai ver os compadres .tomar uma branquinha
Contar os causos, ver briga de galo na rinha
Montar a barraca lá na pracinha
Com a produção, comprou fogão ,que antigamente era a lenha
Geladeira ,e televisão , Maria fica com a filharada,
Na sala vendo novela e os artista bonitão
e nas meninas desperta logo a prosa namoro e de paixão
E o matuto na sua rede,olhando o céu todo estrelado
,parece ate que foi pintado Por um artista renomado
.tanta beleza .tanto encanto . se ouve da cachoeira seu canto

aqui a vida é sem correria ele se faz pescaria
enche o peito de ar puro todo dia
sem o progresso sem agonia
Nada te falta nada ele almeja , tem uma saúde que é uma beleza
Três filhos lindos que Deus mandou,
E o privilegio de se alimentar com tudo que ele plantou

Nenhum comentário:

Postar um comentário